Conheça um mercado de 600 milhões de consumidores.

A grande mais-valia da CCPAS está na sua visão integrada da América Latina, que permite aconselhar associados e empresas em geral em função das respectivas áreas de negócios e objectivos de mercado.

Actuamos nos seguintes países:

Argentina

Argentina

Um dos países com um PIB/per capita mais altos da América Latina e conta com elevadas taxas de alfabetização e de acesso à universidade. Tendo em conta a elevada carga fiscal que incide sobre a importação de bens, o sector com maior potencial é o dos serviços, sobretudo nas áreas das tecnologias de informação e de consultoria. Ainda a passar por um período de recessão, as perspectivas de crescimento económico para os próximos anos são mais positivas, com 1,4% previsto para 2021.

  • Acordo de livre-comércio com a UE: não
  • Sectores com maior potencial: consultoria e tecnologias da informação
  • PIB per capita (PPC) em dólares: 20.610
  • População: 44,7 milhões
  • Bolivia-768x494

    Bolívia

    O país está a crescer de forma consistente há vários anos, tendo este ciclo partido de uma base muito reduzida (perto do subdesenvolvimento). Apesar de alguma instabilidade governamental, a política económica tem-se mantido estável e não pôs em causa a actuação dos agentes privados. As perspectivas de crescimento do PIB do Banco Mundial apontam para valores na ordem dos 3% (2020), 3,2% (2021) e 3,4% (2022).

  • Acordo de livre-comércio com a UE: não
  • Sectores com maior potencial: metalomecânica, materiais de construção, consultoria (em especial para a indústria extractiva) e tecnologias da informação
  • PIB per capita (PPC) em dólares: 7.873
  • População: 11,3 milhões
  • Brasil-768x494

    Brasil

    O maior mercado da América Latina, com 210 milhões de consumidores. Os laços históricos e culturais que mantém com Portugal serviram para acelerar a penetração de alguns produtos portugueses (sobretudo no sector alimentar), mas não para facilitar a actividade de investidores portugueses ou para agilizar trâmites burocráticos. A tensão política e social em que o país vive pode dificultar o arranque económico depois de um prolongado período de crise. O Banco Mundial prevê crescimentos na ordem dos 2% (2020), 2,5% (2021) e 2,6% (2022).

  • Acordo de livre-comércio com a UE: não
  • Sectores com maior potencial: alimentar, consultoria e tecnologias da informação
  • PIB per capita (PPC) em dólares: 16.096
  • População: 210,3 milhões
  • chile-1

    Chile

    Uma das economias mais desenvolvidas, abertas e competitivas da América Latina. Depois de alguns anos com crescimentos do PIB menos pronunciados, o Banco Mundial prevê valores na ordem dos 2,5% (2020) e 3% (2021 e 2022).

  • Acordo de livre-comércio com a UE: sim
  • Sectores com maior potencial: consultoria e tecnologias da informação
  • PIB per capita (PPC):
  • População: 18,8 milhões
  • Colombia-1

    Colômbia

    Uma das grandes economias latino-americanas, com taxas de crescimento muito consideráveis. A classe-média está em expansão (com tudo o que isso pode trazer de interessante para as empresas portuguesas exportadoras de bens) e existem projectos de investimento público consideráveis para dotar o país das infraestruturas de que é deficitário. O processo de pacificação política tem ajudado ao desenvolvimento do potencial da Colômbia. As previsões de crescimento do PIB, segundo o Banco Mundial são de 3,6 (2020) e 3,9% (2021 e 2022).

  • Acordo de livre-comércio com a UE: sim
  • Sectores com maior potencial: alimentar, metalomecânica, materiais de construção, consultoria e tecnologias da informação
  • PIB per capita (PPC) em dólares: 25.222
  • População: 49,7 milhões
  • CRica

    Costa Rica

    O país mais desenvolvido da América Central, com uma forte dinâmica exportadora no sector dos serviços. Tem um bom relacionamento com os Estados Unidos (um dos principais clientes). Tem taxas de crescimento do PIB previstas de 2,5% (2020), 3% (2021) e 3,2% (2022).

  • Acordo de livre-comércio com a UE: sim
  • Sectores com maior potencial: consultoria e tecnologias da informação
  • PIB per capita (PPC) em dólares: 17.671
  • População: 5 milhões
  • Equador-768x494

    Equador

    Em 2019, a instabilidade política marcou a vida pública do Equador, um país com consideráveis recursos energéticos. Depois de alguns anos de crescimento mais robusto e de melhorias na distribuição do rendimento, o país entrou em recessão, não sendo claro que saia dela a curto-prazo. O Bando Mundial prevê um crescimento do PIB na ordem dos 0,2% (2020), 0,8% (2021) e 1,2% (2022).

  • Acordo de livre-comércio com a UE: sim
  • Sectores com maior potencial: alimentar, metalomecânica, materiais de construção, consultoria e tecnologias da informação
  • PIB per capita (PPC) em dólares: 11.734
  • População: 17 milhões
  • Guatemala-768x493

    Guatemala

    O maior país da América Central, com 17 milhões de habitantes, e perspectivas de crescimento muito favoráveis. Em 2019, o país passou por mudanças políticas relevantes que poderão levar a um mais efectivo combate à corrupção, um dos seus grandes problemas. O Banco Mundial aponta para crescimentos de 3% (2020) e 3,2% (2021 e 2022).

  • Acordo de livre-comércio com a UE: sim
  • Sectores com maior potencial: metalomecânica, materiais de construção, consultoria e tecnologias da informação
  • PIB per capita (PPC) em dólares: 8.462
  • População: 17 milhões
  • Mexico

    México

    O maior país de língua espanhola e o segundo mais populoso da América Latina, só superado pelo Brasil. Com um potente mercado de mais de 125 milhões de consumidores, depois de um período de estagnação, prevê-se um regresso ao crescimento na ordem dos 1,2% (2020), 1,8% (2021) e 2,3% (2023), segundo o Banco Mundial. 

  • Acordo de livre-comércio com a UE: sim
  • Sectores com maior potencial: alimentar, metalomecânica, materiais de construção, consultoria e tecnologias da informação
  • PIB per capita (PPC) em dólares: 19.844
  • População: 125,3 milhões
  • panama

    Panamá

    A posição geográfica do Panamá faz deste país um hub regional fundamental para a reexportação de mercadorias. A isto poderemos juntar a crescente classe média e o facto de o país contar com pouca capacidade produtiva e importar grande parte dos bens que consome. Segundo o Banco Mundial, o PIB panamenho deverá crescer 4,2% em 2020, 4,6% em 2021 e 4,8% em 2022.

  • Acordo de livre-comércio com a UE: sim
  • Sectores com maior potencial: alimentar, obras públicas, metalomecânica, materiais de construção, consultoria e tecnologias da informação
  • PIB per capita (PPC) em dólares: 25.553
  • População: 4,1 milhões
  • paraguai

    Paraguai

    As elevadas taxas de crescimento do Paraguai estão a impulsionar o consumo de forma muito clara. Têm sido dados importantes passos no combate à corrupção, havendo uma aposta pela melhoria das infraestruturas do país. Existem mecanismos de atracção de investimento muito interessantes, como a “Lei Maquila” que permite utilizar o estatuto de economia em desenvolvimento que o país tem no âmbito do Mercosul. O Banco Mundial prevê um crescimento do PIB na ordem dos 3,1% (2020), 3,9% (2021) e 3,8% (2022).

  • Acordo de livre-comércio com a UE: não
  • Sectores com maior potencial: alimentar, obras públicas, metalomecânica, consultoria e tecnologias da informação
  • PIB per capita (PPC) em dólares: 13.599
  • População: 7,1 milhões
  • peru-1

    Peru

    Os países da costa do Pacífico têm demonstrado uma maior propensão à abertura económica. O Peru é um país com grandes carências em termos de infraestruturas, mas o crescimento da economia registado nos últimos anos está a permitir uma expansão da classe média e um aumento das importações. O Banco Mundial prevês que o PIB cresça 3,2% (2020), 3,5% (2021) e 3,6% (2022).

  • Acordo de livre-comércio com a UE: sim
  • Sectores com maior potencial: alimentar, obras públicas, metalomecânica, materiais de construção, consultoria e tecnologias da informação
  • PIB per capita (PPC) em dólares: 14.418
  • População: 32,3 milhões
  • RDominicana

    República Dominicana

    País na confluência de três regiões: América Central, Caraíbas e América do Norte. A República Dominicana tem o maior número de zonas francas da região e pode constituir uma importante plataforma para entrar nos mercados norte-americanos através da reexportação. O Banco Mundial prevê um crescimento do PIB na ordem dos 5% (2020, 2021 e 2022).

  • Acordo de livre-comércio com a UE: sim
  • Sectores com maior potencial: alimentar, obras públicas, metalomecânica, materiais de construção e consultoria
  • PIB per capita (PPC) em dólares: 17.748
  • População: 10,3 milhões
  • uruguai-1

    Uruguai

    É o mercado onde a CCPAS iniciou a sua actividade. Apesar das limitações inerentes à sua dimensão, tem um sistema de zonas francas muito atractivo e conta com a vantagem de ter sido retirado da “lista negra” do Ministério das Finanças português. Em 2020, o Banco Mundial prevê que o PIB uruguaio cresça 2,5%, avançando para os 3,5% em 2021 e 3,2% em 2022.

  • Acordo de livre-comércio com a UE: não
  • Sectores com maior potencial: consultoria e tecnologias da informação
  • PIB per capita (PPC): 25.572
  • População: 3,5 milhões
  • MORADA:
    Rua Castilho, 185 - 2º Andar
    1070-051 Lisboa
    Portugal

    Designed by GOD

    TELEFONE:
    (+351) 917 826 696

    EMAIL:
    geral@ccpas.pt

    Esteja sempre a par das nossas notícias,
    subscreva a nossa newsletter